quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Jornalões?


O jornal Meio e Mensagem - a “bíblia” da publicidade brasileira -, a partir de dados do IVC, publicou uma tabela com os atuais 20 jornais diários de maior circulação média neste ano, considerando os meses de janeiro a agosto. Os dados impressionam. A Folha de S. Paulo ainda se segura por uma diferença mínima como primeira do ranking. Sua tiragem, que há cinco anos atrás era de 800 mil, agora chega a 295.781 exemplares. Ou seja, num país de quase 200 milhões de pessoas isso significa 0,15% da população. Jornalão? Mas o O Estado de S. Paulo, seu concorrente direto, está numa situação pior. Hoje é o quinto no ranking nacional. Está atrás do Supernotícia, da região metropolitana de BH, o maior fenômeno do segmento nos últimos anos, e também do Extra e de O Globo. O Estado perdeu neste ano, comparando com o ano passado, 16,59% na circulação, que hoje é de 213.205. Jornalão? Se você olhar a tabela vai perceber que pelo andar da carruagem em breve o famoso Estadão vai perder a quinta colocação, não só para o popular carioca Meia Hora, mas também para o gaúcho Zero Hora. Aliás, os três diários do Rio Grande do Sul juntos (Zero Hora, Correio do Povo e Diário Gaúcho) tem circulação próxima à da Folha e do Estado somados. Há um claro crescimento do segmento popular entre os jornais diários vendidos (não vamos tratar dos gratuitos). Além dos Supernotícia, um jornal lançado no fim do ano passado em Manaus, o Dez Minutos, já tem circulação média de 55.687 exemplares. E é o 18º do ranking nacional. Enquanto isso, o Jornal da Tarde, do Grupo O Estado de S. Paulo, que em outros tempos foi tão importante, inclusive possibilitando um jornalismo mais autoral, não aparece nem entre os 20, pois chega a 50 mil exemplares. Jornalão? Por fim, as organizações Globo ao comprar o Diário de São Paulo em 2001, ele tinha 110 mil exemplares de circulação. E agora nesta última aferição está com 59.299. Os antigos donos do nosso jornalismo impresso diário brasileiro ainda não perceberam que a qualidade de seus veículos só tem piorado, mas quem compra jornal já percebeu. E tem procurado outros veículos. Ou buscado blogues e sites que tratam melhor a informação.

COMENTÁRIOS:

Alex disse...
Excesso de confiança derruba Requião.

No momento que fazia a entrega de ônibus escolares para cidades da Região, aconteceu a queda do governador Requião e de todo o seu Estado Maior. Foi um duro golpe na base de sustentação da esquerda comandada pelo PMDB, na figura do líder que terá que se apoiar no pé direito que não sofreu nenhum tipo de machucado. Era uma manhã ensolarada e bonita em Paiçandu, cidade escolhida para a solenidade; quando de repente um grande arco-íris deu-se por completo no horizonte fazendo cenário para uma revoada de tucanos que apareceram do nada executando um rasante sobre o palco das autoridades no exato momento em que aconteceu a queda sem nenhum esboço de reação. As aves bateram em retirada depois do imenso barulho provocado pelo sinistro. Menos mal que o governador diz ter o controle da situação graças a uma reforçada bengala de madeira araucária que ele usará nestes dias, em cerimônias de inaugurações sobre seu hétero comando de pulso teso.
Eu sou Alex Tossato, curitibano e admirador do nosso grande governador paranaense. Agradeço se houver a publicação desse texto.

6 comentários:

Alex disse...

Excesso de confiança derruba Requião.
No momento que fazia a entrega de ônibus escolares para cidades da Região, aconteceu a queda do governador Requião e de todo o seu Estado Maior. Foi um duro golpe na base de sustentação da esquerda comandada pelo PMDB, na figura do líder que terá que se apoiar no pé direito que não sofreu nenhum tipo de machucado. Era uma manhã ensolarada e bonita em Paiçandu, cidade escolhida para a solenidade; quando de repente um grande arco-íris deu-se por completo no horizonte fazendo cenário para uma revoada de tucanos que apareceram do nada executando um rasante sobre o palco das autoridades no exato momento em que aconteceu a queda sem nenhum esboço de reação. As aves bateram em retirada depois do imenso barulho provocado pelo sinistro. Menos mal que o governador diz ter o controle da situação graças a uma reforçada bengala de madeira araucária que ele usará neste dias, em cerimônias de inaugurações sobre seu hétero comando de pulso teso.
Eu sou Alex Tossato, admirador do nosso grande governador paranaense. Agradeço se houver a publicação desse texto.

Benonis disse...

Fazendo escola, Grillo?

Kamile disse...

Sobre os "jornalões" eu completo com outra: quem diria, a Globo fazendo chamadas de atenção para o Jornal Nacional!!!

Saul Ramos disse...

A BBC pela segunda vez em menos de um ano mandou o FHC e sua turma pro chá de camomila (ou pro baseado?) com a cobertura de entrega do Prêmio Líderança Mundial entregue ao Lula. A Band e a Record divulgaram imagens e comentários, mesmo com o Boechat visivelmente PUTO, enquanto o apavorado Jornal Nacional não viu nem ouviu falar nisso em solidariedade ao orgulhoso farol da sabedoria dos golpistas. O JN vai ter que fazer muita chamada pra evitar a Record na cola deles. Quem diria.

Heloisa disse...

Parabéns Alex pelo texto sutil abordando a intocável viadagem e o golpismo da direitona que assolam o país.
É isso aí.

Fabio H. Amaral disse...

Acho que se associam a isto dois aspectos, o primeiro é o preço dos jornais que inviabiliza e desinteressa a massa de comprá-los, uma vez que existem edições gratuitas, tão ruins quanto, diposníveis em comércios e tranportes coletivos. Outro aspecto é que os jornais sobreviveram ao rádio e à televisão pois a notícia, já velha pois era dada no dia seguinte, era aprofundada e analisada. Hoje a internet possibilita essa análise e diversidade de opinões instantânea tornando jornalões e jornalecos (ou jornalecões) defasados e desinteressantes.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...